Ouça aqui a ALCANTIL FM 87,9

terça-feira, 7 de abril de 2015

Poder Legislativo de Alcantil entra no ranking das despesas com diárias





Segundo dados do SAGRES do TCE-PB, em 2014 as despesas chegaram a R$ 560.000,00 nas câmaras municipais da Paraíba.





A farra das diárias do Legislativo tem sido constantes conforme matéria do Jornal da Paraíba do Sábado 04/04/2015. Uma lista de cidades onde a nossa Alcantil aparece em 8º lugar afirma os gastos com diárias da Câmara Municipal no valor de 12.030,00 (doze mil e trinta reais), e o curioso é que a maioria dessas viagens acontecem nos finais de semana e feriados. 
Pelo que vemos, nossa representação parlamentar tem trabalhado muito, "tá aí o motivo de tanto desenvolvimento em nossa cidade".

Confira foto abaixo:




Jornal da Paraíba - edição de 04 de Abril de 2015.

quinta-feira, 19 de março de 2015

REQUENTANDO: MPF abre inquéritos contra 58 municípios da PB entre eles Alcantil.

O Ministério Público Federal (MPF) na Paraíba começou o ano de 2015 fechando o cerco contra o desvio de dinheiro público de verbas para educação, saúde, habitação, saneamento básico, equipamento turístico e infraestrutura, por meio de convênios e programas sociais mantidos pela União. De janeiro até a última sexta-feira, dia 13, foram instaurados inquéritos civis para apurar indícios de irregularidades em 58 municípios. 

Foram 12 procedimentos em janeiro, 38 em fevereiro e 8 na primeira quinzena de março. A maioria envolve gestores e ex-prefeitos municipais de Santa Rita, Sossego, Livramento, Princesa Isabel, Mamanguape, Itaporanga, Pocinhos, Puxinanã, Serra Redonda, Taperoá, Umbuzeiro, Boqueirão, Aroeiras, Cubati, Alcantil, Uiraúna, Juarez Távora, Mari, Lucena, Pitimbu e Caaporã. 

Em Santa Rita, no Litoral, o procurador Sérgio Rodrigo de Castro Pinto abriu dois inquéritos civis na semana passada. O primeiro vai apurar supostas irregularidades na concorrência pública que tinha como objeto o melhoramento em infraestrutura da creche no bairro Marcus Moura com recursos do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). A licitação ocorreu em 2011, na gestão do ex-prefeito Marcus Odilon. O segundo é contra o atual prefeito Reginaldo Pereira “por suposta irregularidade na dispensa de licitação - Processo nº 029/2013 - que tem por finalidade contratar Instituição para a Realização e Formação Inicial e Continuada do Programa de Educação de Jovens e Adultos, Brasil Alfabetizado. As assessorias jurídicas de Marcus Odilon e Reginaldo Pereira informaram que eles ainda não foram intimados pelo MPF para se defenderem nos inquéritos. 

Ainda no Litoral, o procurador da República Rodolfo Alves instaurou inquérito civil a fim de investigar irregularidades eventualmente cometidas pela prefeitura de Caaporã na aplicação de recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), no ano de 2011, por investimento inferior a 60% na remuneração e valorização do magistério. O prefeito João Batista Soares também não foi notificado para se defender. 

Na Zona da Mata, o procurador da República Yordan Moreira Delgado instaurou inquérito, “a fim de apurar supostas irregularidades no processo de entrega de casas populares, financiadas com recursos do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço), no Município de Pedras de Fogo”. Já no município de São José de Caiana, o MPF vai “investigar irregularidades no Pregão Presencial n. 001/2001”.

Fonte : MPF

quarta-feira, 18 de março de 2015

SAÚDE: População se revolta com gestor de Alcantil

A população da comunidade de Barra de Aroeiras ficou revoltada com a transferência do Técnico em Enfermagem José Jânio, popularmente conhecido por "Janinho", que durante sua trajetória no posto de saúde daquela comunidade prestou ótimos serviços que de antemão agradou à todos. Ao tomarem conhecimento  que o profissional seria transferido para a sede do município, a população se mobilizou e foi idealizado um abaixo assinado onde conseguiram mais de 250 (duzentas e cinquenta) assinaturas pedindo a permanência daquele profissional , tendo em vista inclusive que o mesmo reside em Barra de Aroeiras e que costumeiramente a qualquer hora, inclusive à noite, ele está disposto a atender a quem bate a sua porta. Para o desapontamento das pessoas que assinaram, o pedido não foi aceito e segundo a pessoa que entregou o documento à secretária de saúde, a mesma ignorou e ainda teria falado que não havia nada a conversar com aquelas pessoas, e a decisão já estava tomada.


O nosso blog teve acesso às informações e inclusive à cópia do abaixo assinado, e atendendo a pedidos daqueles moradores, se solidariza nesta reivindicação.

Prefeito de Alcantil é multado e poderá ter contas de 2014 rejeitadas por não convocar concursados

José Ademar - Prefeito de Alcantil
O prefeito de Alcantil, José de Ademar, foi multado em R$ 7.882,17 por não cumprir decisão do Tribunal de Contas do Estado (TCE), no tocante a pendências referentes a indícios de preterição de candidatos aprovados no último concurso público realizado pela prefeitura. A 2ª Câmara do TCE concedeu um prazo de 30 dias para que o gestor sane a irregularidade.
A falta em relação à irregularidade será anexada às contas do gestor do ano passado e poderá ensejar a desaprovação, deixando o prefeito inelegível por oito anos.
O processo foi conduzido pelo conselheiro substituto Antônio Cláudio Silva Santos, relator da verificação de cumprimento do Acórdão TC 04587/14.
Fonte: Mais PB

sábado, 7 de fevereiro de 2015

Antes de encerrar o mandato, Carlos Dunga apresenta nove emendas à Lei Orçamentária Anual de 2015

O deputado estadual Carlos Dunga (PTB) apresentou, na Assembleia Legislativa, nove emendas à Lei Orçamentária Anual (LOA) exercício 2015. As emendas propostas pelo parlamentar contemplam importantes pleitos da população de diversos municípios paraibanos e totalizam o montante de mais de R$ 3,5 milhões, a que cada deputado tem direito. Dentre as ações defendidas por Dunga estão melhorias nas áreas de saúde, infraestrutura e cultura.
Carlos Dunga também destinou parte de suas emendas para o apoio a instituições filantrópicas que prestam assistência na área da saúde, a exemplo da Fundação Assistencial da Paraíba (FAP) e da Fundação Rubens Dutra Segundo, ambas de Campina Grande, que atuam no combate ao câncer.
“Procuramos atender da melhor forma possível as reivindicações da população paraibana, destinando emendas para diversas áreas do Estado, enfocando investimentos na saúde e infraestrutura para garantir melhorias na qualidade de vida dos paraibanos”, afirmou.
Para investimentos em esgotamento sanitário e  infraestrutura dos municípios, Carlos Dunga destinou emendas no valor de R$ 1 milhão para a cidade de Campina Grande, R$ 730 mil para Juazeirinho e R$ 500 mil para Riacho de Santo Antônio.
O tradicional Festival de Inverno de Campina Grande terá o incremento de R$ 300 mil para a sua promoção este ano. Para o parlamentar, o evento que já é referência, estimula a produção cultural e expõe os valores artísticos da nossa terra.
Carlos Dunga disse que apesar ter sido empossado no cargo somente em 2013, após re-totalização dos votos da eleição de 2010 pelo TRE da Paraíba, cumpriu mais um mandato consciente do dever cumprido, principalmente por sua luta em favor da luta contra a seca no Estado. “Mesmo sem o mandato, continuaremos na defesa do pequeno produtor rural como sempre fizemos ao longo de nossa trajetória”, arrematou.

Fonte: ascom

sábado, 27 de dezembro de 2014

É UM CONVITE DE FÉ, DE VERSO E ROMARIA


Cordel:

É dezembro o ano se finda
Hora de apurar e agradecer
Há anos, a promessa se cumpre
Por devoção, fé e prazer
Agradecer a Padre Cícero
Os dias do ano vividos
A Crença é pra quem nela crer
A história iniciou no Juazeiro
Companheiros de uma romaria
Muita gente de crenças
Outro de pouca valia
Todos acabavam rezando
Pedindo paz e prosperidade
Subindo o horto com alegria
La no juazeiro
Sempre bem recebidos
Por gente de tradição
Gente da Paraíba
A maioria de Boqueirão
Uma romaria de amigos
Cantando, orando em procissão
A caravana foi crescendo
Aumentado a devoção
Decidimos ficar por aqui
Nas terras do cariri
Fazer nossa tradição
E na Fazenda Mosquito
A romaria se fez missão
Nos caminhos da romaria
Muita gente se ajuntou
Uns só foram lá uma vez
Outros muito lá voltaram
Eu mesmo, interrogação fazia
Ignorância vazia
Hoje maior devoto sou
Nos caminhos, ensinamentos
No nordeste imensidão
Foram diversos os recantos
De encantos e lição
No cariri era a partida
Longo caminho se fazia
Parada no sertão uma terra um viver
Convidamos os Padres
Os romeiros da região
Vem gente de toda parte
Para o encontro de louvação
O encontro se tornou de amigos
Falando de paz, amor e devoção
O dia não muda a data
28 de dezembro
Em qualquer ocasião
Qualquer dia da semana
É a data de então
9h começa o celebrado
É o povo em oração
Carlos Dunga acorda cedo
Na fazenda é preparação
Na véspera o ensaio dos cantos
Por cantores da região
Os vizinhos e voluntários
Unem-se na arrumação
É festa de valia e tradição
Dona Neuza na eucaristia
Com as rezadeiras de então
Decoram com flores do campo
O altar a procissão
Os paramentos são sagrados
Água, vinho e pão
O ritual a comunhão
Convido-lhe para esse ano
Vir assistir a missa
A Fazenda é o Mosquito
No tabuado em Boqueirão
De Campina grande 40 minutos
Venha de onde vier
Aqui é espaço de oração
A romaria cresceu,
Chega gente de todo canto
De carro e até de pé
De Alcantil, João Pessoa
Riacho, Queimadas, Campina Grande
Cabaceiras, de Barra e Umbuzeiro
Boqueirão e Caturité
Do Rito todos participam
Cantadores, violas e batutas
São cantos nas vozes do povo
Pessoas muita gente de fé
Vaqueiros, trabalhadores, aboiadores
Doutores, e homens do povo
Nos sons da alma, La, si, dó ré
É ora de reencontrar
Romeiros, amigos afins
Falando de dias melhores
Afastando as coisas ruins
O que passou foi ensinamento
O hoje estou vivendo
O amanhã será assim
Nos hinos cantados
O homem, á água o chão
Acordes firmes diretos aos céus
Ecoando nas serras sem medição
Correndo campos, chamando os pássaros
Em letras de gratidão
Trazendo paz, chuva e pão
No encontro da relva do mato
A natureza mostra lição
Nessa missa santo padre
Só tenho espaço
Para a prece contida da emoção
O homem se rende nesse laço
Ao amor, a fé e ao perdão
O gado balança os chocalhos
Ecoando sons de sinos de igreja
Os cavalos trajados no couro
Dão o tom da vida caririzeira
Se a seca assola nosso recantos
A chuva pedimos com fé
Na certeza que Deus sabe seu tempo certo
Pedimos tempo bom para o povo
Água, segurança e atenção
Pras crianças paz, sabedoria
Aos de idade tranqüilidade e tempo são
Aos Padres agradecemos o evento
Aos amigos a participação
Desejamos um ano novo de muita comemoração
Reiteramos o pedido da chuva
Pra essa terra o chão molhar
Precisamos das águas vindas do céu
Pra beber e se alimentar
Traz verde traz esperança
Cheiro de leite, mato verde bonança
Onde os poetas podem cantar
Precisamos amar mais o próximo
Lendo as lições que o senhor
Aqui deixou
Compartilhemos entre nós o amor
A solidariedade força de fé
Que teremos dias melhores
A todos que proclamam seu mister
Peço ao Padre Cícero sua benção
O Deus e Jesus em comunhão
Se todos nós praticarmos amor
Tem sentido viver em oração
Nesse encontro de muita fé
Rogai por nós aqui reunidos
Presentes em luz e benção
A nossa Senhora de Aparecida
Peço também sua intercessão
Ave Maria, rogue por nós pecadores
Seu filho lhe estende a mão
Nos proteja o sacrossanta mãe
No ano vindouro em especial
Façamos deste próximo ano um eterno sempre Natal
Se puder venha,
É um prazer receber voz me cê
Já disse Jesus Cristo
Onde dois oi mais orar
Lá eu estarei a dizer
Participe do nosso encontro
Juntos vamos lhe agradecer
Nossa casa se abre em romaria
Juntos estamos em missão
Já agradeço por esse ano
E para os outros convidados estão
Guarde esse cordel que é convite pra todo ano
Com muita consideração
Agradecemos se sinta um amigo
Deste momento de Fé de Devoção.
Louvado Seja o Nosso Senhor Jesus Cristo.

Carlos Dunga Júnior
25/12/2014
Atualizado e reeditado.

sábado, 22 de novembro de 2014

BRASIL : E-mails provam que Lula e Dilma poderiam ter interrompido o propinoduto

O doleiro Alberto Youssef disse à Justiça que Lula e Dilma sabiam do esquema de corrupção na Petrobras. Agora, mensagens encontradas pela PF em computadores do Planalto mostram que eles poderiam ter interrompido o propinoduto, mas, por ação ou omissão, impediram a investigação sobre os desvios

Robson Bonin e Hugo Marques
 
************************************************************************
 
Antes de se revelar o pivô do petrolão, o maior escândalo de corrupção da história contemporânea brasileira, o engenheiro Paulo Roberto Costa era conhecido por uma característica marcante. Ele era controlador e centralizador compulsivo. À frente da diretoria de Abastecimento e Refino da Petrobras, nenhum negócio prosperava sem seu aval e supervisão direta. Como diz o ditado popular, ele parecia ser o dono dos bois, tamanha a dedicação. De certa forma, era o dono — ou, mais exatamente, um dos donos —, pois já se comprometeu a devolver aos cofres públicos 23 milhões de dólares dos não se sabe quantos milhões que enfiou no próprio bolso como o operador da rede de crimes que está sendo desvendada pela Operação Lava-Jato. Foi com a atenção aguçada de quem cuida dos próprios interesses e dos seus sócios que, em 29 de setembro de 2009, Paulo Roberto Costa decidiu agir para impedir que secassem as principais fontes de dinheiro do esquema que ele comandava na Petrobras. Costa sentou-se diante de seu computador no 19º andar da sede da Petrobras, no Rio de Janeiro, abriu o programa de e-mail e pôs-se a compor uma mensagem que começava assim:
“Senhora ministra Dilma Vana Rousseff...”.
O que se segue não teria nenhum significado mais profundo caso fosse rotina um diretor da Petrobras se reportar à ministra-chefe da Casa Civil sobre assuntos da empresa. Não é rotina. Foi uma atitude inusitada. Uma ousadia. Paulo Roberto Costa tomou a liberdade de passar por cima de toda a hierarquia da Petrobras para advertir o Palácio do Planalto que, por ter encontrado irregularidades pelo terceiro ano consecutivo, o Tribunal de Contas da União (TCU) havia recomendado ao Congresso a imediata paralisação de três grandes obras da estatal — a construção e a modernização das refinarias Abreu e Lima, em Pernambuco, e Getúlio Vargas, no Paraná, e do terminal do Porto de Barra do Riacho, no Espírito Santo. Assim, como quem não quer nada, mas querendo, Paulo Roberto Costa, na mensagem à senhora ministra Dilma Vana Rousseff, lembra que no ano de 2007 houve solução política para contornar as decisões do TCU e da Comissão Mista de Orçamento do Congresso Nacional.
Também não haveria por que levantar suspeitas se o ousado diretor da Petrobras que mandou mensagem para a então ministra Dilma Rousseff fosse um daqueles barnabés convictos, um “caxias”, como se dizia antes nas escolas e no Exército de alguém disposto a arriscar a própria pele em benefício da pátria. Em absoluto, não foi o caso. Paulo Roberto Costa, conforme ele mesmo confessou à Justiça, foi colocado na Petrobras em 2004, portanto cinco anos antes de mandar a mensagem para Dilma, com o objetivo de montar um esquema de desvio de dinheiro para políticos dos partidos de sustentação do governo do PT. Ele estava ansioso e preo­cupado com a possibilidade de o dinheiro sujo parar de jorrar. É crível imaginar que em 29 de setembro de 2009 Paulo Roberto Costa, em uma transformação kafkiana às avessas, acordou um servidor impecável disposto a impedir a paralisação de obras cruciais para o progresso da nação brasileira? É verdade que às vezes a vida imita a arte, mas também não estamos diante de um caso de conversão de um corrupto em um homem honesto da noite para o dia.
Para ler a continuação dessa reportagem compre a edição desta semana de VEJA no tablet, no iPhone ou nas bancas. Tenha acesso a todas as edições de VEJA Digital por 1 mês grátis no iba clube.
Outros destaques de VEJA desta semana