terça-feira, 24 de abril de 2018

Polícias da PE e PB recuperam motos roubadas em Alcantil


     Nesta noite de Terça 24,  a Policia Militar de Alcantil comandada pelo Sgt. Gonçalves com o Soldado Felipe Diniz junto com a força tática 1 de Queimadas em ação conjunta com a Guarnição na Viatura 24122 composta pelo Sargento Farias e o Soldado Fransuar do  24º Batalhão de Sta. Cruz do Capibaribe seguiram em diligência para recuperar motos roubadas na cidade de Santa Cruz do Capibaribe.  Ao chegarem no local no Sítio Serra Verde de Alcantil,  os indivíduos ao perceberem abandonaram as motocicletas e ganharam o matagal tomando destino ignorado. Foram recuperadas as três motos:


*Uma honda bros 160 vermelha placa PCT 7305 - Santa Cruz do Capibaribe;
* Uma 300 vermelha com branco Placa PCX 6852 - Santa Cruz do Capibaribe;
* Uma 300 preta Placa KGA 2638 - Santa Cruz do Capibaribe. 


quinta-feira, 19 de abril de 2018

POLICIAL: Veículo tomado em assalto é recuperado em Alcantil

     Nesta manhã de quinta 19, foi recuperado pela Polícia Militar através da RP de Alcantil sob o comando do Sgt. Gonçalves e o Soldado C. Batista que receberam denúncia através de populares de que havia um veículo abandonado em uma estrada que dá acesso ao Sítio Serra Verde neste município de Alcantil.

Ao seguir até o local mencionado se depararam  com o veículo Chevrolet Onix 1.4 MT LT , placas PCG 6653 ano/mod 2017/2018, cor branca, em nome de Luiz Fernando do Nascimento. residente na cidade de Santa Cruz do Capibaribe. Após localizado o veículo foi levado até a DEPOL local que  através da Delegada de Polícia Civil Ivonize Fonseca foi lavrado o Auto de Depósito.

  O proprietário do veículo foi localizado e compareceu à DEPOL para a retirada o mesmo.
 Ainda segundo o proprietário, o veículo teria sido tomado de assalto no dia anterior na cidade de Santa Cruz do Capibaribe por dois indivíduos em uma moto, tomando sentido ignorado. o veículo foi encontrado com alguns machucados e arranhões na porta do lado do motorista.

Blog: asabranca87

Veículo roubado abandonado em Alcantil

 
  Nesta manhã de Quinta 19, foi encontrado um veículo nas proximidades do Sítio Serra Verde, zona rural de Alcantil. Segundo curiosos, o veículo encontrava-se na estrada próximo a um riacho conhecido como Riacho Salgado, com uma porta aberta e chaves na ignição. O veículo de cor branca modelo Onix 1.4- Chevrolet, placas PCG 6653 - Santa Cruz do Capibaribe - PE.  Consultado no sistema e comprovada a restrição de roubo.

Fonte; Agreste Notícia 

quarta-feira, 18 de abril de 2018

POLICIAL: Em Alcantil mãe e filho são detidos em ação policial.

     A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Alcantil, sob o comando da Delegada Ivanize Fonseca, no final da manhã de hoje 18/04, prendeu em flagrante delito BRUNO SANTANA DOS SANTOS 21 anos, desocupado e sua mãe SUZANA CASTRO DE SANTANA, 41 anos, dona de casa, pela prática dos crimes de tráfico de drogas, desacato e resistência à prisão.


Pé de maconha encontrado na residência
Consta nos autos que a equipe de investigação dessa delegacia municipal, se dirigiu ao endereço localizado na Rua Nossa Senhora da Piedade - Gameleira - Alcantil,  a fim de averiguar denúncia anônima que informava que no referido imóvel estava sendo cultivado um pé de "Cannabis sativa" mais conhecida como maconha, para posterior comercialização. Ao confirmarem a veracidade da denúncia adentraram no imóvel e deram voz de prisão a BRUNO e SUZANA, os quais reagiram com força física contra os policiais civis que conseguiram contê-los, e em seguida foram conduzidos  à delegacia para lavratura dos procedimentos cabíveis.

Os presos nesse momento encontram-se na carceragem da central de policia para serem posteriormente apresentados ao Juiz na audiência de custódia.

PC EM AÇÃO.

 Em apoio à Delegada, foi acionada a  guarnição da PM comandada pelo Sargento Gonçalves e o soldado C. Batista.

asabranca87

quinta-feira, 12 de abril de 2018

Polícia Civil cumpre mandados em Alcantil

A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Alcantil, no Cariri Paraibano, deu cumprimento, na manhã desta quarta-feira (11), ao mandado de prisão preventiva expedido pela Vara Única do Município de Boqueirão em desfavor de Edvaldo Erasmo de Lima pela prática de violência doméstica*
O suspeito estava sendo procurado desde o dia 26 de março deste ano.
Edvaldo foi preso na casa onde mora, na Rua Projetada, no Conjunto Ronaldo Cunha Lima. Ele foi ouvido pela delegada de Alcantil, Ivanize Fonseca, e encaminhado para a carceragem da Delegacia, onde vai ficar recolhido aguardando pela decisão da Justiça.

Mais uma prisão 

        Ainda na cidade Alcantil, no início da tarde, policiais civis prenderam Leandro Santos. Ele estava sendo procurado pela Justiça desde o dia 14 de dezembro de 2017.
Leandro é suspeito de participar, no dia 21 de setembro do ano passado, do crime de latrocínio (roubo seguido de morte) que teve como vítima Claudionor José dos Santos, 38 anos. O caso foi registrado no Sítio Barra de Aroeiras, no município de Alcantil.

Durante as investigações a polícia foi informada que o crime foi praticado por dois homens que se aproximaram da vítima, que estava com o pai, e anunciaram o assalto.
Durante ação criminosa os ladrões agrediram o pai de Claudionor, que sofreu um corte no supercílio. Desesperado, Claudionor entrou na briga para defender o pai e foi atingido por dois tiros no tórax e morreu no local.

A partir da descrição dos criminosos, os agentes de investigação da Polícia Civil conseguiram identificar o suspeito conhecido como ‘Leo’ e foi pedida a prisão preventiva dele à Justiça. Foram realizadas várias diligências na região, mas Leandro conseguiu fugir do Estado.
O trabalho investigativo continuou até a descoberta de que o suspeito estava escondido na cidade de Taquaritinga do Norte em Pernambuco onde ele foi preso na tarde dessa quarta feira.
Leandro dos Santos foi ouvido pela delegada Ivanize Fonseca e está preso na carceragem da Delegacia aguardando pela apresentação ao juiz da custódia.

Fonte portal Paraíba

quarta-feira, 11 de abril de 2018

Câmara Criminal mantém condenação de ex-prefeito de Alcantil por contratações irregulares

A Câmara Criminal do Tribunal de Justiça da Paraíba manteve a condenação imposta ao ex-prefeito de Alcantil, José Milton Rodrigues, pela realização de 129 nomeações irregulares de servidores para exercerem funções na Administração Pública municipal, sem a realização de processo seletivo ou concurso público. Também foi mantida a inabilitação, pelo prazo de cinco anos, para o exercício de cargo ou função pública. A decisão unânime e em harmonia com o parecer do Ministério Público, nos autos da Apelação Criminal nº 0000532-37.2013.815.0741, ocorreu nesta terça-feira (10) e teve a relatoria do desembargador Arnóbio Alves Teodósio.

O órgão, no entanto, reduziu a pena de 17 para quatro anos, oito meses e 23 dias de detenção, em regime semiaberto, em função da prescrição dos atos de nomeações praticados entre os anos de 2005 e 2009 (Grupos 1 a 7), mantendo as penas impostas pelos atos praticados nos Grupos 8, 9 e 10 das nomeações.

O recurso foi interposto pelo ex-prefeito, requerendo absolvição, e foi desprovido. Conforme os autos, José Milton Rodrigues foi denunciado pelo Ministério Público, acusado de, no exercício do cargo de prefeito, durante o período compreendido entre os anos de 2005 e 2011, ter admitido e nomeado prestadores de serviços para exercerem funções na Administração Pública, sob a justificativa de atender necessidade temporária de excepcional interesse público, numa prática sistemática e reiterada, contra a disposição legal. Desta forma, teria ferido o artigo 37, inciso II, da Constituição Federal e os artigos 1º e 59, inciso III, da Lei Municipal nº 99/2004.

A maioria das contratações não respeitou o prazo máximo de 180 dias para celebração do contrato, bem como houve novas contratações dos mesmos profissionais, conforme documentação nos autos.O magistrado de 1º Grau calculou a condenação com base na divisão em 10 grupos, em que cada um deles corresponde a um ato delituoso de nomeações.

De acordo com o relator, os crimes cometidos entre os anos de 2006 a 2009 são anteriores à Lei nº 12.234/2010, que trouxe alterações de prazo prescricional da pretensão punitiva, por isso, o desembargador declarou ser necessária a análise do caso com base na norma vigente à época. Desta forma, nos termos do artigo 109, inciso V, do Código Penal, verificou que as penas em questão prescreveriam em quatro anos. Expôs, ainda, que, entre a data dos fatos e o recebimento da denúncia (9 de julho de 2013), houve lapso temporal superior a quatro anos e, por este motivo, reconheceu a prescrição referente às condutas definidas nos grupos de 1 a 7.

Já quanto ao recurso interposto, o desembargador afirmou que a materialidade está comprovada por meio de farta documentação acostada aos autos, e que a autoria é evidente, inclusive, por confissão do réu. “A ação do Chefe do Poder Executivo Municipal, ao nomear, admitir ou designar servidor sem cumprir os mandamentos da lei, por si só, tipifica a infração penal descrita no inciso XIII do artigo 1º do Decreto Lei nº 201/67 (crimes de responsabilidade), que se caracteriza independentemente da produção de um resultado, tendo em vista tratar-se de crime de mera conduta”, argumentou.

O desembargador explicou, ainda, que para o reconhecimento da ausência de dolo é indispensável que o réu traga aos autos provas irrefutáveis comprovando que, em virtude de condições e particularidade do caso concreto, não poderia agir de maneira diversa, o que não ocorreu.

 Por: Gabriela Parente
Lei Orgânica do Município de Alcantil
         Com essa condenação, a matéria seguirá para a Câmara Municipal que baseada na Lei Orgânica do Município deverá cassar o mandato do gestor e em seguida empossar o vice.